Publicado em 04.11.2019 às 13:10

Protagonistas da mudança

Parte do Programa Bicentenário da Imigração no Brasil, o 2º Seminário Educação em 1º Lugar- A Necessidade de Mudar - reuniu gestores da educação de municípios que compõem os quatro Conselhos Regionais de Desenvolvimento (Coredes) da região. Uma realização do Instituto São Leopoldo 2024 e promoção do Grupo Sinos, o evento ocorreu dia 28 de outubro no Tecnosinos em São Leopoldo/RS.Teve como objetivos apresentar e debater sugestões para direcionar a educação brasileira a um novo rumo, de acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), referência normativa obrigatória para elaboração das propostas pedagógicas do ensino infantil e fundamental nas redes públicas e privadas a partir de 2020.

O Seminário fechou um ciclo de discussões iniciado no 1º Fórum Intermunicipal de Educação, dias 18 e 19 de fevereiro, em Feliz/RS, município que,no ano passado,foi homenageado pelos resultados plenamente alcançados no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). Por isso, uma das painelistas convidadas foi a secretária de Educação felizense, Márcia Fetzer. “O Fórum sempre é um momento muito válido, pela troca de experiências e, ao mesmo tempo, a oportunidade de unificar cada vez mais os trabalhos realizados em prol da educação”, ressalta ela.

Durante o ano, deu-se continuidade ao trabalho, o que resultou na criação do Documento Orientador do Território Municipal de Feliz. O primeiro capítulo reúne os princípios orientadores, concepções, tempos e espaços do currículo na educação infantil. Os demais são organizados por áreas de conhecimento: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e ensino religioso. Esses cinco capítulos apresentam as competências específicas da área para o ensino fundamental, bem como o quadro organizacional do currículo construído, contendo unidades temáticas, objeto do conhecimento, competências e habilidades da BNCC, habilidades do Referencial Curricular Gaúcho e habilidades acrescidas das contribuições dos profissionais da educação.

Pesquisa como um caminho possível

Pesquisa como um caminho possível ‘Pesquisa na educação básica: um caminho possível para jovens estudantes’ foi o título da palestra ministrada pela professora Flávia Twardowski, orientadora técnica do IFRS (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul) - Campus Osório. Engenheira de Alimentos, mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos e doutora em Engenharia de Produção, ela orienta pesquisas de iniciação científica de alunos do ensino médio e, neste ano,recebeu o prêmio Professor Destaque Nacional na Febrace (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia). “A importância dessa conquista é poder ser reconhecida por colegas que, assim como eu, acreditam e lutam por uma educação mais inclusiva e ao alcance de todos. E, principalmente, poder perceber que estou caminhando em um dos muitos caminhos que trazem resultados aos nossos estudantes”, afirma. O projeto coordenado por Flávia teve início em 2011 com o objetivo de despertar o conhecimento científico entre jovens estudantes para que eles possam contribuir na transformação do mundo. Em disciplinas de cursos técnicos ligados ao ensino médio e em atividades não vinculadas diretamente aos cursos, eles são orientados a desenvolverem pesquisas inovadoras e apresentá-las em feiras e mostras científicas no Brasil e exterior. A professora calcula que, desde então, seus alunos conquistaram mais de 70 premiações, muitas delas com repercussão internacional.

A força da coordenadoria pedagógica